CORITIBA CONQUISTA TÍTULO COM JOGO SEGURO E EMPATE SEM GOLS

Depois de quatro anos, o Coritiba é o campeão paranaense de 2017. Com uma atuação inteligente e sem tomar grandes sustos, o Verdão empatou em 0x0 com o Atlético, na tarde deste domingo (7), no Estádio Couto Pereira e garantiu o caneco do Estadual desta temporada. O time coxa-branca, que havia goleado o Furacão por 3×0 no duelo de ida, confirmou seu melhor momento neste ano e chega com moral para a disputa do Campeonato Brasileiro, que começa na semana que vem, com essa conquista do seu 38º título do Paranaense da sua história.Com 90 minutos para sustentar a vantagem de três gols conquistada na partida de ida, o Coritiba fez um jogo inteligente no primeiro tempo. Antes dos dez minutos, porém, o Coxa perdeu Iago, machucado. Mesmo assim, foi do Verdão a primeira chance do clássico Atletiba. Aos 10 minutos, Juninho começou a jogada, Anderson rolou para Kléber, na área, mas o Gladiador, livre, mandou por cima.

O Atlético, mesmo tendo mais posse de bola, não tinha criatividade suficiente para criar boas chances de marcar. Na defesa, o Furacão dava espaços, principalmente do seu lado esquerdo. O time atleticano, aos 17, criou sua primeira boa chance. Rossetto fez boa jogada pela direita e serviu Grafite, mas o chute saiu torto.

Mais cuidadoso e com seus volantes mais recuados, o Coritiba não teve a mesma mobilidade da partida na Arena da Baixada. O time alviverde, na realidade, buscou jogar nos erros do Atlético. Aos 28, depois da boa jogada de Anderson e Henrique Almeida pela direita, Kléber chutou de primeira, mas mandou no meio.

A melhor chance do primeiro tempo foi do Coritiba. Aos 34, em outra boa jogada de Anderson, Kléber recebeu na cara do gol, chutou e Weverton fez grande defesa. No rebote, Henrique Almeida foi travado e quase marcou. O Atlético, que jogou um primeiro tempo muito nervoso e errou demais, ainda criou outra chance aos 45 minutos. Rossetto, de longe, cobrou falta e quase surpreendeu o goleiro Wilson.

O Atlético voltou melhor para a etapa final. Ainda sem se expor, apesar de precisar de três gols para levar a decisão para a disputa de penalidades, o Furacão chegou perto de marcar aos 5 minutos. Crysan fez boa jogada pela esquerda, chutou da entrada da área e assustou Wilson. A resposta do Coxa veio um minuto depois. Anderson deixou Kléber livre, mas dentro da área, o Gladiador demorou para chutar e perdeu grande chance.

Com Eduardo da Silva no lugar do inoperante Lucho González, o Atlético se abriu um pouco mais. O Coritiba, no entanto, ainda com sua marcação mais eficiente, não conseguia explorar os erros seguidos cometidos pelo time atleticano. Enquanto o Furacão assustava somente em cobranças de falta na área, o Verdão quase marcou aos 26 minutos. De fora da área, Henrique Almeida chutou forte e quase marcou.

Cada vez mais perto do título, o Coritiba seguiu com o controle do jogo e atacava só na boa. Aos 28, no contra-ataque puxado por Anderson, Kléber, da entrada da área, chutou forte, a bola desviou e Weverton defendeu. O Atlético, sempre perigoso em bolas paradas, chegou perto do primeiro gol aos 32 minutos. João Paulo cobrou falta e Wilson fez outra boa defesa.

Antes tarde do que nunca, o Atlético se abriu de vez nos minutos finais do Atletiba. Aos 37, Matheus Galdezani cruzou para Kléber, na área, mas a cabeçada saiu errada. Um minuto depois, Henrique Almeida puxou contra-ataque e deixou Anderson na cara do gol, mas Weverton fez grande defesa. Na sequência, foi a vez do camisa 18 fazer a jogada e servir Henrique Almeida, mas o goleiro Weverton fez outra grande defesa e garantiu o empate. Nos minutos finais, apesar de ter a vantagem, parecia o Verdão que estava precisando do resultado. A pressão foi grande, o Furacão se segurou, mas não impediu a festa dos quase 37 mil alviverdes, que viram seu clube voltar a ser campeão paranaense depois de quatro anos.

Ficha técnica

PARANAENSE
Final – Jogo de volta

Coritiba 0x0 Atlético

Coritiba
Wilson; Rodrigo Ramos (Walisson Maia), Werley, Juninho e William Matheus; Alan Santos, Matheus Galdezani e Anderson; Iago (Neto Berola) (Jonas), Henrique Almeida e Kléber.
Técnico: Pachequinho

Atlético
Weverton; Cascardo, Wanderson, Marcão e Sidcley; Otávio, Rossetto, Lucho González (Eduardo da Silva) e João Pedro (Yago); Crysan e Grafite.
Técnico: Paulo Autuori

Local: Couto Pereira
Árbitro: Adriano Milczvski
Assistentes: Bruno Boschilia e Ivan Carlos Bohn
Cartões amarelos: William Matheus (CFC); Crysan, Otávio (CAP)
Público pagante: 32.869
Público total: 36.457
Renda: R$ 1.459.410,00

Categoria:Exemplo de categoria

Deixe seu Comentário