Pagina Inicial / Coritiba / Defesa do Coritiba foi uma das grandes decepções em 2018

Defesa do Coritiba foi uma das grandes decepções em 2018

Um dos pontos negativos do Coritiba durante esta temporada, o setor defensivo alviverde deve contar com muitos remanescentes deste ano para 2019. Nada menos do que oito jogadores que atuaram na defesa coxa-branca em 2018 têm contrato vigente para o início dos trabalhos, no dia 2 de janeiro. Mesmo assim, este é um setor que deve ganhar novos reforços para o ano que vem, sobretudo pelo baixo desempenho durante as disputas do Campeonato Paranaense, da Copa do Brasil e especialmente da Série B do Campeonato Brasileiro.

Ao todo, durante os 57 jogos na temporada de 2018, foram nada menos do que 64 gols sofridos, com média de 1,12 gol tomado por partida. Foram 44 somente na disputa da Segundona. Com isso, o time terminou com a nona pior defesa da competição nacional.+

Para iniciar a pré-temporada, o técnico Argel Fucks terá a sua disposição os zagueiros Alan Costa, Alex Alves, Geovane, Rafael Lima, Romércio e Thalisson Kelven, além dos laterais Henrique Gelain e William Matheus. Há a possibilidade ainda das permanências dos laterais Leandro Silva e Abner, que terminaram a temporada como titulares e elogiados pelo treinador.

Muitas duplas de zaga foram testadas durante a temporada. Os jovens Thalisson Kelven e Romércio atuaram na maioria das partidas do Estadual. Mesmo com um nível técnico mais fraco, os dois apresentaram algumas fragilidades e a equipe acabou levando 15 gols em 16 partidas pelo Estadual. Na Copa do Brasil, em quatro duelos, foram mais quatro tomados e a eliminação na terceira fase do torneio para o Goiás.+

Durante a disputa da Série B, especialmente pela rotatividade no comando técnico (quatro treinadores passaram pelo clube), poucos zagueiros conseguiram se firmar. Talvez Rafael Lima, que chegou em julho, tenha sido a melhor contratação para a defesa neste ano. Atuou em 20 partidas, todas como titular e ainda conseguiu fazer três gols. Foi o mais regular da posição em toda à segundona.

Thalisson Kelven, com 37 partidas disputadas no ano, foi o que mais atuou. Acabou oscilando, sobretudo por conta da sua idade, mas é, sem dúvida, um jogador que pode ainda render bons frutos ao time. Romércio, outra jovem revelação, não conseguiu ter a mesma sequência. Ele falhou mais durante as partidas e também acabou passando um longo período no departamento médico.+

Já Alan Costa, que terminou o ano como titular atuando ao lado de Rafael Lima e tem contrato até 2019, conseguiu dar a volta por cima. Na disputa do Estadual, o zagueiro ficou marcado por levar um drible desconcertante do atacante Luccas Brasil, do Foz do Iguaçu, na derrota sofrida no Couto Pereira. O defensor chegou a ser afastado depois disso e foi resgatado pelo técnico Argel Fucks, que conhecia seu futebol e acabou retomando sua melhor forma na reta final da segunda divisão. Alex Alves, que foi contratado com status de titular no início do ano, não conseguiu uma sequência no Verdão e fez apenas 22 partidas em toda a temporada.

As laterais também foram um problema neste ano. Leandro Silva, na direita, e Abner, na esquerda, até conseguiram terminar o ano em alta, mas não conseguiram uma sequência. No início do ano, o clube apostou nos jogadores mais jovens. Marcos Moser, Léo Andrade e Rodrigo Ramos foram testados, mas nenhum mostrou capacidade para seguir na equipe. William Matheus e Henrique Gelain, ambos laterais-esquerdos, possuem contrato e podem ser as opções do técnico Argel Fucks para o início do ano. No entanto, a tendência é de que o clube busque novos nomes para as duas laterais para o início da pré-temporada de 2019.

Sobre admin

Check Also

Apesar do ano ruim do Coritiba, Guilherme Parede teve o que comemorar em 2018

Praticamente nenhum torcedor do Coritiba irá querer lembrar o ano de 2018. Com um futebol …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *