Pagina Inicial / Paraná Clube / Paraná Clube vai usar dinheiro da venda de Jhonny Lucas pra saldar dívidas

Paraná Clube vai usar dinheiro da venda de Jhonny Lucas pra saldar dívidas

Com a venda de Jhonny Lucas encaminhada para o futebol italiano, o  Paraná Clube pretende usar o dinheiro, de aproximadamente 4 milhões de euros (R$ 17,3 milhões na cotação atual), para equilibrar as finanças nesta temporada, tarefa que não será tão fácil, já que o clube paranaense, em 2018, voltou a conviver com salários atrasados.

A primeira missão da direção é acertar os débitos com o elenco e funcionários. Ao longo do segundo semestre do ano passado, o Tricolor passou a atrasar os vencimentos, conforme apuração da Tribuna, e a promessa de pagamento é justamente com o dinheiro da transação com o volante.+

As pendências variam, mas existem débitos a partir do mês de outubro. Vale lembrar que, em entrevistas passadas, o clube admitiu que tinha uma folha mensal que girava em torno de R$1,2 milhão. Os atrasos referentes a essa questão ultrapassam os R$ 4 milhões.

Apesar da boa venda, o Paraná também não poderá contar com todo o montante da grana de Jhonny Lucas. De acordo com último balanço financeiro, 71% dos direitos econômicos pertencem ao time paranista, mas uma nova renovação de contrato realizada em março de 2018 tem uma cláusula que impede a divulgação dos percentuais, pelo menos, até o próximo balanço. A negociação com a Itália é por 80% dos direitos.+

Dessa transação, 20% do que for de direito do Paraná ficarão no Ato Trabalhista, que consiste em uma intervenção judicial para quitar dívidas na Justiça. O acordo foi firmado no final de março do ano passado e tem duração de um ano, com a possibilidade de renovação se as normas forem seguidas corretamente durante o período.

Além disso, o Tricolor buscou o grupo do empresário Jorge Mendes, que representa entre outros, o badalado Cristiano Ronaldo, para conseguir fazer negócio na Europa pelo meio-campista. A comissão pela intermediação tradicionalmente varia entre 7% e 10%.

Internamente, o clube olha a venda de Jhonny Lucas, assim como um possível negócio de Leandro Vilela para o exterior, como um respiro em seus cofres para 2019 e não com uma força financeira para brigar por sonhos altos. As cotas de televisão para o Estadual são de R$ 600 mil e para a Série B de R$ 7 milhões, ante a mesma quantia pelo Paranaense e R$ 23 milhões na Série A do ano passado.+

Após usar o discurso de lutar pelo acesso depois do rebaixamento no Brasileirão, a narrativa nos bastidores já mudou e o foco é fazer uma temporada tranquila. Se o caminho do torneio caminhar para uma inesperada briga pelo G4, como aconteceu em 2017, o sentimento será de surpresa e não planejamento, ao menos neste início de projeção do ano.

Com dificuldades financeiras, a diretoria não confirmou nenhuma contratação, mas está se mexendo no mercado. O lateral-direito Éder Sciola, os zagueiros Fernando Timbó e Eduardo Bauermann, o volante Kadu, os meias Itaqui e Higor Leite e o atacante Jenison devem ser anunciados. O meio-campista Alejandro Márquez e o zagueiro Matheus Lopes são as outras opções em negociação. O atacante Hugo Cabral, também pretendido, fechou com a Ponte Preta. O Tricolor estreia no Campeonato Paranaense diante do Operário, no dia 20 de janeiro, às 17h.

Sobre admin

Check Also

Faltou entrosamento pro Paraná Clube na estreia no Paranaense

Uma derrota decretada com um gol aos 41 minutos do segundo tempo fez com que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *