Pagina Inicial / Paraná Clube / Paraná Clube pode ficar sem dinheiro da venda de Jhonny Lucas

Paraná Clube pode ficar sem dinheiro da venda de Jhonny Lucas

A novela envolvendo a venda do volante Jhonny Lucas para o Braga, de Portugal, ganhou mais um capítulo. Agora, o Paraná Clube  pode ver o dinheiro do negócio ser penhorado, por conta de uma dívida com a empresa BASE, ex-parceira das categorias de base paranista, que cobra R$ 7,7 milhões do clube na Justiça.+O pedido da empresa foi protocolado pela Terceira Vara Cível de Curitiba no dia 8 de janeiro. O Tricolor tem 15 dias para se manifestar. Vale lembrar que o clube mantém um acordo com a Justiça Trabalhista, chamado Ato Trabalhista, que prioriza o pagamento de dívidas trabalhistas, em detrimento de ações cíveis, por exemplo, como a da BASE.

A ex-parceira ainda pede que, caso o time paranista não possa quitar o débito, que esta recaia sobre o presidente Leonardo Oliveira e o dirigente Luiz Carlos Casagrande, o Casinha, com base em dispositivos previstos no Profut.

O Paraná Clube faz mistério quanto a venda de Jhony O presidente Leonardo Oliveira ficou três semanas na Europa para negociçâo atleta visto como a salvação financeira do clube em 2019. Especula-se que o Tricolor fechou acordo com o Braga no valor de 3,5 milhões de euros, cerca de R$ 15 milhões.

Segundo a ação da BASE, o Paraná detém 71% dos direitos econômicos do prata da casa. A reportagem buscou contato com a diretoria do Paraná. Via assessoria de imprensa, o clube afirmou que não comentaria o caso. Renê Bernardi, proprietário da BASE, também preferiu não se manifestar.

Em 2008, Paraná Clube e BASE firmaram contrato de parceria de 12 anos para as categorias de base tricolores. A empresa fez aportes, previstos em contrato, no valor de R$ 4 milhões. O acordo foi rompido unilateralmente pelo Tricolor em 2014, com a parceira indo cobrar o clube na Justiça no valor de R$ 10 milhões, relativos à multa rescisória prevista contratualmente.

Em janeiro de 2016, os dois lados entraram em um acordo. O Paraná se dispôs a pagar R$ 5 milhões para encerrar a disputa jurídica. Na época principal investidor do clube, o empresário Carlos Werner ficou responsável pelo pagamento de R$ 2 milhões, enquanto o Tricolor deveria arcar com os outros R$ 3 milhões.

De acordo com o pedido da BASE, em 8 de janeiro, Werner já quitou a sua parte do acordo judicial com a empresa. Vale lembrar que, em 2017, o investidor rompeu com o presidente Leonardo Oliveira e deixou de aportar dinheiro no Tricolor.

Por outro lado, a BASE argumenta que o Paraná Clube deixou de cumprir a sua parte da dívida, tendo vencido no dia 31 de dezembro de 2018 o prazo para pagamento. Diante disso, a empresa cobra agora o valor total, acrescido de cláusula penal compensatória e encargos de contrato, de R$ 7,7 milhões.

Sobre admin

Check Also

Mais um membro da diretoria do Paraná Clube pede renúncia

O segundo mandato do presidente Leonardo Oliveira no Paraná Clube vem sendo bastante tumultuado. Apenas dez meses …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *