Categorias
Destaques Futebol Paranaense

FPF define datas e horários das finais do Campeonato Paranaense

Federação Paranaense de Futebol (FPF) confirmou, na tarde desta quinta-feira (30), as datas e horários dos dois jogos da decisão do Campeonato Paranaense de 2020, entre Athletico e Coritiba.

O primeiro jogo será neste domingo (2), às 16h, na Arena da Baixada. Já a volta acontece no Couto Pereira, na quarta-feira (5), às 20h.

Por ter feito melhor campanha de maneira geral ao longo da competição, o Coxa tem a vantagem de fazer o segundo confronto em casa. Porém, não joga por dois resultados iguais.

Caso, após os dois duelos, os dois times somem os mesmos pontos e tenham o mesmo saldo de gols, a decisão do Estadual irá para os pênaltis.

Categorias
Futebol Paranaense

STJD exige que FPF e TJD-PR apresentem lista de indicados pra Procuradoria após denúncia

Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) determinou, nesta quinta-feira (30), que se abra um procedimento para que o Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) seja composto e tenha um procurador-geral.

Desta forma, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) foi intimada a apresentar até segunda-feira (3) a lista com os três nomes indicados para o cargo, assim como o presidente do TJD-PR, Humberto Ciccarino Filho, para saber se ele recebeu esta lista.

Confira o comunicado do STJD:

“Determino que seja oficiado o Presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Pereira Cury , para que no prazo de 03 (três) dias, preste informações a este STJD, se enviou ou não a lista tríplice dos indicados para o cargo de Procurador Geral do TJD/Paraná; e caso tenha enviado, que seja encaminhado a lista tríplice e o comprovante de envio da referida lista ao TJD/PR.

Oficie-se também o Presidente em exercício do referido TJD, Humberto Ciccarino Filho, para no prazo de 03 (três) dias, informar se recebeu da Federação Paranaense de Futebol, a lista tríplice para Procurador Geral, e caso tenha recebido, informe se já designou data para eleição do Procurador Geral, Sub-Procuradores e Procuradores.

Informe ainda o Presidente do TJD/PR, se na forma do artigo 25,IV do CBJD indicou auditores e criou as Comissões Disciplinares para o quadriênio 2020/2024, e em caso positivo se foram empossados.

Determino que seja instaurada a abertura de Procedimento Administrativo, para apuração dos fatos”.

Categorias
Destaques Futebol Paranaense

Paraná mais perto de acerto com volante do futebol paulista

Após confirmar a chegada do atacante Wandson, artilheiro do Campeonato Cearense, o Paraná pode acertar com mais um reforço para a disputa da Série B do Brasileiro. Trata-se do volante Higor Meritão, 26 anos, que estava na Ferroviária-SP.

Revelado pelo Monte Azul, o jogador acumula passagens por Olímpia, Santacruzense, Botafogo-PB, XV de Jaú, Velo Clube e Botafogo-SP. Meritão disputou a Segundona do ano passado pelo clube de Ribeirão Preto.

Nesta temporada, o volante jogou oito partidas pela equipe de Araraquara e marcou um gol. Caso acerte com o Tricolor, Meritão disputará posição com Jhony Douglas, Luan, Bruno, Carlos Dias, Gabriel Kazu e Kaio.

Categorias
Destaques Futebol Paranaense

Coritiba confirma Neílton como primeiro reforço para o Brasileirão

O Coritiba confirmou na manhã desta quinta-feira (30) o seu primeiro reforço para a disputa do Brasileirão 2020. Trata-se do atacante Neílton, 26 anos, que estava no Hatta Club, dos Emirados Árabes Unidos. O contrato é válido até 2022.

Revelado pelo Santos, o jogador também passagens por Cruzeiro, Botafogo, São Paulo, Vitória e Internacional. Neílton é sonho antigo da diretoria alviverde. No início do ano, o Coxa sondou a situação do atleta junto ao Vitória, mas o atacante acabou se transferindo para o exterior.

O clube baiano já vinha manifestando o interesse de descartar o jogador por conta do seu alto salário. “Amigo, esqueça (a permanência de Neilton). Vitória nunca mais na vida vai pagar R$ 300 mil a jogador nenhum. Neilton está fora, se apresenta ao Coritiba, graças a Deus”, afirmou o presidente do Vitória, Paulo Carneiro, em entrevista ao recente ao Resenha na Rede.

Segundo apurou a reportagem, o atacante chega ao Coxa para receber metade deste valor citado pelo dirigente do clube baiano.

Categorias
Futebol Paranaense

Athletico e Coritiba farão a 19ª final de Paranaense; relembre as anteriores e quem leva a melhor

Com a vitória sobre o Cianorte do Coritiba, e o empate em 0x0 do Athletico com o FC Cascavel, o Campeonato Paranaense 2020 conheceu seus finalistas, os mais tradicionais campeões.

São 79 anos de Atletibas em decisões estaduais. O maior clássico paranaense teve sua primeira final de Estadual em 1941. Desde então, foram 18 confrontos, com nove vitórias para cada lado. Agora, será feito o tira-teima

Confira a lista de Atletibas na final:

1941 – Primeira final Atletiba

O regulamento determinou o encontro dos rivais pela primeira vez em decisões. Em duas partidas, o Coritiba se sagrou campeão após vencer os dois jogos: 3×1 no Joaquim Américo e 1×0 no Belfort Duarte. O Athletico contava com figuras lendárias de sua história, como Cajú e Gotardo. Já o Coxa contou com a inspiração do meia Neno para conquistar o campeonato sobre o rival pela primeira vez.

1943 – Athletico dá o troco

Com o Coxa campeão do primeiro turno e o Furacão campeão do segundo, o clássico foi a decisão novamente. O Rubro-Negro contou com uma defesa de pênalti do goleiro Caju na primeira partida da final, na casa alviverde, e venceu a segunda com o gol da vitória saindo de jogada do contundido Batista – na época ainda não havia substituição no futebol – para Lilo marcar.

1945 – Furacão em vantagem

Campeão do turno, o Athletico reencontrou seu rival, que conquistou o returno, na final. O Coritiba venceu a ida, no Alto da Glória, por 2×1. Com a vitória por 5×4 do Furacão, na volta, no Joaquim Américo, a decisão foi para o terceiro jogo. Novamente no Belfort Duarte, o Rubro-Negro conquistou a taça na prorrogação, com gol do atacante reserva Xavier.

1968 – Jejum de Atletibas

Após 23 anos sem decidir o campeonato, veio o Atletiba de 1968. Com vantagem de jogar por dois resultados iguais, o Athletico não conseguiu segurar o Coritiba na primeira partida e perdeu por 2×1, na casa alviverde. Na volta, na Vila Capanema, o Furacão vencia por 1×0 e comemorava o caneco até os 45 do segundo tempo, quando o atacante Paulo Vecchio empatou e chegou à segunda conquista sobre o rival. Nos elencos, grandes nomes como Krüger, do lado alviverde, e Belini, do lado rubro-negro.

1972 – A volta de Krüger

Após passar quase dois anos ausente dos gramados, após fraturar a face em dividida com o goleiro do Água Verde, o campeonato marcou o retorno do Flecha Loira. O ídolo alviverde, inclusive, marcou o gol que acabou dando o título ao Coxa, no Alto da Glória. A volta foi um empate sem gols, que coroou o Coritiba campeão.

1978 – Decisão sem bola na rede

Foram três partidas disputadas no Couto Pereira e três empates sem gols. O Furacão, que dominou o campeonato todo, não conseguiu superar a defesa alviverde em nenhuma das três partidas, marcadas pelo clima tenso e pelas inúmeras confusões em campo. A decisão, nos pênaltis, teve como protagonista o goleiro coxa-branca Manga, que defendeu duas cobranças e ajudou o time a levantar o caneco.

1983 – Joel decisivo

Após passar pelo quadrangular final nas duas primeiras posições, os rivais decidiram o campeonato em dois jogos no Couto Pereira. O avante rubro-negro Joel marcou o gol da vitória na primeira partida. Na segunda, Lela chegou a dar esperanças para a torcida alviverde, mas o mesmo Joel empatou e deu a taça para o Furacão.

1990 – Dirceu, o carrasco

Com vantagem de dois resultados iguais pela melhor campanha ao longo do torneio, o Athletico saiu atrás nas duas partidas, mas contou com a estrela do atacante Dirceu para chegar ao empate. Na mesma competição, marcou quatro vezes contra o rival, incluindo as duas decisões, e foi a grande figura da conquista.

1998 – O campeonato dos Atletibas

Foram sete clássicos entre os rivais no campeonato. Nas fases classificatórias o Coritiba levou vantagem, vencendo dois e empatando um, enquanto só uma vez o Athletico saiu vitorioso. Já nas finais a sequência foi invertida e, após o empate em 1×1 na primeira partida, no Couto Pereira, o Furacão venceu as duas seguintes para ficar com a taça. Foi a última vez que as duas equipes fizeram a final no Pinheirão, já que a partir de 1999 a Arena da Baixada foi reinaugurada.

2000 – Domínio

Mesmo dividindo as atenções com a disputa da Libertadores, o Athletico liderou o campeonato do começo ao fim. Chegou à final com a melhor campanha e jogava por dois empates na decisão. Dois resultados de 1×1, primeiro no Couto, depois na Arena, selaram o caneco atleticano, com o gol do título saindo da cabeça do zagueiro Gustavo.

2004 – Tuta vira-casaca

Tuta, que foi campeão com o Atlético em 98, foi a grande estrela da decisão de 2004. Após vitória coxa-branca por 2×1 na ida, a volta foi do avante alviverde, que marcou dois gols, o de empate em 3×3 faltando 10 minutos para o fim da partida, para garantir a taça.

2005 – Lima vira-casaca

Se no ano anterior quem roubou a cena foi Tuta, outro jogador que mudou de lado da rivalidade foi protagonista, o avante Lima. Após vitória alviverde na ida, no Pinheirão, na volta Denis Marques decretou o triunfo rubro-negro e levou a decisão para os pênaltis. Lima, reserva do Furacão naquele ano, entrou na partida e fez a cobrança final, marcando o gol que deixou a taça na Arena da Baixada.

2008 – O iluminado

O atacante Henrique Dias entrou para a história do Coritiba por ser predestinado. No ano anterior, marcou nos acréscimos o gol que deu o título da Série B para o Coritiba. Em 2008, marcou novamente, na final do Estadual, na Baixada, para dar o título ao time alviverde. Após perder por 2×0 a ida, no Couto, o Athletico devolvia o placar em casa até a metade do segundo tempo, quando Henrique Dias descontou e deu o título ao Coxa.

2012 – Guerrón

O equatoriano foi contratado cercado de expectativa, pela campanha que fez com a LDU na Libertadores. Formou ataque ao lado de Bruno Mineiro, destaque do Furacão, que foi artilheiro do certame. Após empate em 2×2 na primeira partida, a finalíssima ficou no empate sem gols e o Athletico perdeu o título graças ao erro do equatoriano, que desperdiçou sua cobrança na disputa de penalidades. A batida certeira de Éverton Ribeiro garantiu o titulo coxa-branca.

2013 – Alex grita é campeão com o Coxa

Foto: Albari Rosa/Arquivo

No primeiro ano de implementação do time sub-23 atleticano, que jogava o Paranaense enquanto os principais jogadores do elenco se preparavam para a disputa do Brasileirão, os rubro-negros chegaram à decisão, mas encontraram um rival em busca do tetracampeonato e com o meia Alex, próximo da aposentadoria, com sede de levantar seu primeiro troféu pelo clube. O empate em 2×2 na ida deixou a decisão aberta, mas na volta, o menino de ouro do Alto da Glória marcou duas vezes e o Coritiba conquistou o Estadual.

2016 – Walter e as coxinhas

Foto: Albari Rosa/Arquivo

Sem vencer o Estadual desde 2009, o Rubro-Negro voltou a erguer a taça com o bônus de aplicar uma goleada por 5 a 0, no placar agregado, sobre o Coxa – 3×0 na Arena da Baixada e 2×0 em pleno Couto Pereira. Na ocasião, o atacante Walter foi o grande nome do Atletiba. Foi ele quem abriu a contagem no jogo de volta, encerrando um jejum de 17 partidas sem gols com a camisa atleticana. Após o apito final, o camisa 18, eufórico, brincou com o resultado e a polêmica do seu sobrepeso: “Hoje estou liberado, hoje pode cinco coxinhas”.

2017 – A vingança alviverde

O Alviverde não deixou barato a goleada anterior na decisão de 2017. Venceu o Furacão por 3×0 dentro da Arena da Baixada no jogo da ida e empatou, sem gols, dentro do Couto Pereira para erguer seu 38.º troféu estadual. O time comandado pelo técnico Pachequinho ainda quebrou o tabu do rival, que sustentava oito meses de invencibilidade dentro da Arena. Liderados pelos experientes Anderson e Kléber Gladiador (artilheiro do campeonato), os jogadores coxa-brancas haviam prometido o título paranaense na primeira fase do torneio.

2018 – Aspirantes fazem a festa

Foto: Albari Rosa/Arquivo

Mesmo com o time de aspirantes, que contava com personagens que se consagrariam no futuro, como Renan Lodi, Léo Pereira e Bruno Guimarães, além do técnico Tiago Nunes, o Athletico levou a melhor no clássico e igualou o número de vitórias sobre o Coritiba em finais. Como havia perdido o jogo de ida por 1×0, o Furacão precisava vencer por dois gols de diferença para ser campeão. E conseguiu. Ederson e Bruno Guimarães deram a taça ao Rubro-Negro.

Categorias
Geral

Quartas de final do Paulistão: veja datas, horários, locais e transmissão dos jogos

A Federação Paulista de Futebol divulgou nesta segunda-feira as datas, os horários e os locais dos jogos das quartas de final do Paulistão. Serão duas partidas na quarta-feira e outras duas na quinta. Veja como ficou e confira também a transmissão de cada partida na TV:

Quarta-feira, 29 de julho

19h – São Paulo x Mirassol – Morumbi
Transmissão do Premiere

21h30 – Palmeiras x Santo André – Arena Palmeiras
Transmissão da TV Globo, do SporTV e do Premiere

Quinta-feira, 30 de julho

19h – Bragantino x Corinthians – Morumbi
Transmissão do Premiere

21h30 – Santos x Ponte Preta – Vila Belmiro
Transmissão do SporTV e do Premiere

Taça do Paulistão de 2020 — Foto: Ana Canhedo

Taça do Paulistão de 2020 — Foto: Ana Canhedo

Todos os duelos serão em partida única. Os vencedores estarão classificados para as semifinais, que também serão disputadas no domingo, novamente em jogo único – apenas a final terá ida e volta. Em caso de empate, a disputa será nos pênaltis.

Nas semifinais, o time de melhor campanha receberá o quarto time de melhor campanha às 16h de domingo. Pouco depois, às 19h, o segundo time de melhor campanha recebe o terceiro time de melhor campanha.

As finais começarão a ser disputadas na quarta-feira, 5 de agosto, às 21h30. A grande decisão está prevista para o sábado seguinte, 8 de agosto, às 16h30. É o fim de semana em que também começa o Brasileirão – os finalistas do Estadual devem ter suas partidas adiadas na primeira rodada do campeonato nacional.

Categorias
Futebol Paranaense

Satisfeito com o Athletico, Dorival estuda encaixe dos reforços

O técnico Dorival Júnior elogiou a postura do Athletico na vitória por 5×1 sobre o Cascavel , na Arena da Baixada, pela partida de ida das semifinais do Campeonato Paranaense. O treinador ainda fez questão de exaltar o adversário e afirmou que continuará mantendo a mescla dos atletas jovens e veteranos nas competições que virão.

“Não esperava (este placar elástico). Independentemente do número de gols, foi um grande jogo, enfrentamos um adversário muito bem treinado. Tivemos muitas dificuldades na partida, mas soubemos encontrar caminhos. O Athletico está de parabéns por aquilo que desempenhou nos 90 minutos. Na quarta-feira, temos que estar muito concentrados para encontrarmos nosso caminho e esperamos uma partida ainda mais complicada”, declarou o treinador, em entrevista ao clube.

“Eu não vi nem no Paulista uma equipe que jogasse com tanto desenvoltura como o Cascavel. O Marcelo (Caranhato, técnico) está de parabéns. Temos que enaltecer. E no futebol não dá para achar que já está tudo definido”, completou Dorival, pregando pés no chão mesmo com a grande vantagem construída pelo Furacão.

O treinador atleticano ainda ressaltou que deve manter o time mesclado com os jovens e os mais experientes, afirmando que pretende rodar bastante a equipe. Os zagueiros Edu, Felipe Aguilar e Pedro Henrique, o volante Richard, o meia Jaime Alvarado e os atacantes Walter e Geuvânio não podem jogar no Paranaense, mas terão oportunidades no Campeonato Brasileiro e na Libertadores.

“Assim vai ser se eles continuarem pedindo passagem. Não abro mão, porque os formados aqui têm uma identificação e os outros já têm uma certa estrada. Não podemos alterar isso. É uma situação que vamos dando maturidade aos atletas, vamos buscando equilíbrio e temos que nos preparar para muitas oscilações ainda”, finalizou.

Em busca da vaga na final do Paranaense, o Rubro-Negro terá a partida de volta contra o FC Cascavel quarta-feira (29), às 18h, no estádio Olímpico Regional, em Cascavel. O time pode perder por até três gols que chegará à sua quinta final seguida.

Categorias
Geral

José Aldo é nocauteado por russo no UFC 251

O brasileiro José Aldo não conseguiu sair com o cinturão peso-galo do UFC. Na madrugada deste domingo, o ex-campeão peso-pena acabou sendo nocauteado pelo russo Petr Yan, no quinto round, e viu o seu rival ficar com o título.

Histórico

José Aldo estreou na categoria peso-galo com derrota para o também brasileiro Marlon Moraes. Mesmo assim, o UFC achou que o ex-campeão peso-pena teve melhor desempenho.

Com isso e com o campeão peso-galo Henry Cejudo deixando o cinturão vago ao anunciar a sua aposentadoria, o caminho ficou ainda mais aberto para o brasileiro diante do russo Petr Yan.

A luta

Aldo começou muito bem aplicando o que ele tem de melhor: os chutes baixos. No entanto, Yan acertou bons diretos e finalizou o primeiro round desferindo um grande direto na região da barriga do brasileiro.

O brasileiro achou o caminho pra vitória no segundo round. Aldo encontrou melhor a distância e cresceu no combate. Os chutes baixos voltaram a levar o ex-campeão à vantagem.

Aldo começou muito bem no terceiro assalto, mas, o russo inverteu o jogo no final. Yan cresceu, encaixou golpes retos e boas cotoveladas que fizeram com que o confronto ficasse equilibrado.

Yan cresceu ainda mais no quarto assalto. O russo conseguiu abrir um ferimento no brasileiro e ainda encaixou uma boa queda no minuto final, dominando no solo até o fim.

No quinto round, o russo passou o caminhão. Logo no início, o gringo acertou uma bomba de esquerda, que fez com que Aldo sentisse. No solo, o russo foi marretando até o árbitro interromper.

Categorias
Destaques Futebol Paranaense

“Não tem nexo jogar o Paranaense em Santa Catarina”, diz diretor do Paraná

O diretor de futebol do Paraná, Alex Brasil, voltou a criticar o modo como a Federação Paranaense tem feito para retomar o Campeonato Estadual nos próximos dias. O dirigente, que já havia dito que era melhor dar o título de covid 19, destacou que não vê nexo jogar a sequencia de Santa Catarina , como foi ventilado.

“Volto a frisar que seria muito mais inteligente e bonito que o campeão seja o Covid-19. Não tem nexo algum jogar em Santa Catarina um campeonato que é paranaense”, disse Alex, em entrevista à Rádio Banda B.

Para a sequência do Estadual e também da Copa do Brasil, além da estreia na Série B, o Paraná vai poder contar com mais algumas caras novas. O diretor revelou que o lateral-esquerdo Jean Victor e o atacante Bruno Gomes já treinam com o elenco no CT Ninho da Gralha.

Jean Victor vinha disputando o Campeonato Carioca pelo Boavista, enquanto Bruno Gomes estava no Modena, da Itália.

Categorias
Futebol Paranaense

Funcionário do Coritiba tem melhora, após quadro grave de coronavírus

O funcionário da comissão técnica do Coritiba, que testou positivo para o coronavirus na ultima segunda feira e estava em estado grave teve uma evolução em seu quadro e já não tem precisado mais utilizar o respirador. A informação foi divulgada pelo jornalista Napoleão de Almeida, da BandSports. “Ainda exige cuidados, mas já está inclusive desperto”, completa o jornalista.

O Coxa confirmou que tem dado todo o apoio a ele e seus familiares neste caso. Há um mês, dois casos de Covid-19 foram constatados no clube. Os dois colaboradores cumpriram quarentena e já se recuperaram, voltando, inclusive, aos trabalhos no CT da Graciosa.

Mesmo com o decreto estadual, não permitindo os treinos nos clubes esportivos, o Coritiba tem realizado normalmente os seus trabalhos em Colombo.